Tu és salvo ou somente religioso?

Tu és salvo ou somente religioso?O povo de Israel estava confiando demasiadamente no templo, pois diziam: “Templo do Senhor, templo do Senhor, templo do Senhor é este” (Jr 7. 4). Confiavam no templo, mas não obedeciam ao Senhor do Templo. A palavra que veio através do profeta Jeremias foi esta: “… Melhorai os vossos caminhos e as vossas obras, …” (Jr 7. 3). O profeta os acusa por ordem de Deus que eles estavam confiando em palavras falsas, que não tinham nenhum valor.

Na verdade o povo que era chamado de povo de Deus estava vivendo um sincretismo religioso, quer dizer: adoravam a Baal, iam atrás de outros deuses e depois vinham à casa do Senhor, e ainda diziam que eram livres para cometerem tais abominações (Jr 7. 9,10). Deus diz a eles o que estavam fazendo da sua casa, lugar de covil de salteadores. E antes que alguém falasse qualquer coisa o Senhor disse: “Eu mesmo, vi isto” (Jr 7. 11). Querendo Ele dizer: eu vejo tudo. Nada passa despercebido diante dos meus olhos.

Deus então lembra ao povo de Israel que antes do templo ser ali em Jerusalém, o local de adoração que era em Siló (local que dista 29 quilômetros ao norte de Jerusalém), agora esta deserta. Desde que a arca de Deus foi tomada pelos filisteus, a tenda de adoração ficou vazia. De nada adiantava ter a tenda da adoração se não havia a presença do Senhor. E o Senhor diz para eles: “Mas ide agora ao meu lugar, que estava em Siló, onde ao princípio, fiz habitar o meu nome, e vede o que lhe fiz, por causa da maldade do meu povo Israel” (Jr 7. 12), e ameaça fazer o mesmo com o templo, dizendo: “Farei também a esta casa, que se chama pelo meu nome, na qual confiais, e a este lugar, que vos dei a vós e a vossos pais, como fiz a Siló” (Jr 7.14).

Esse capítulo sete de Jeremias, bem como o capítulo seis também nos mostra um povo muito religioso, mas rebeldes aos conselhos da Palavra do Senhor. E lendo-os entendi que estamos vivenciando novamente esses dias. Muitos ditos cristãos estão demasiadamente confiados no templo e em sua religiosidade. Em seu tempo de crente, credencial de obreiro, de membro. Em seu cargo na igreja. Em ir ao culto de domingo, dar sua oferta, ouvir a pregação, e parece que tudo vai bem. Mas o Senhor está reclamando por essa religiosidade vazia. Desprovida de vida e paz. Desprovida de salvação.

Ouvem a Palavra nos cultos de doutrina, nos domingos a noite, mas não obedecem. Estão vivendo o que disse Paulo a Timóteo: “Porque virá tempo em que não sofrerão a sã doutrina; mas tendo comichão nos ouvidos, amontoarão para si doutores conforme as suas próprias concupiscências; E desviarão os ouvidos da verdade, voltando às fábulas” (2Tm 4.3,4). Quantos que passam a semana com os deuses estranhos, na adoração a Mamom (deus da riqueza), a Afrodite (a deusa da sexualidade, do amor), e aos domingos enchem os templos cristãos, apenas para dizer que são de Deus, e que adoram ao Deus dos céus, mas fazem apenas de corpo porque os seus corações estão distante de Deus, como disse o Senhor de seu povo Israel: “Porque o Senhor disse: Pois que este povo se aproxima de mim, e com a sua boca, e com os seus lábios me honra, mas o seu coração se afasta para longe de mim e o seu temor para comigo consiste só em mandamentos de homens, e que foi instruído”(Is 29.13), e disse mais: “Aborreço, desprezo as vossas festas, e as vossas assembleias solenes não me dão nenhum prazer. E ainda que me ofereçais holocaustos, e ofertas de manjares, não me agradarei delas: nem atentarei para as ofertas pacíficas de vossos animais gordos. Afasta de mim o estrépito dos teus cânticos; porque não ouvirei as melodias dos teus instrumentos” (Am 5. 21-23).

Amados, fica ai a reflexão para cada um de nós. Estamos vivendo uma vida apenas religiosa, ou estamos vivenciando a salvação de Deus. Somos cristãos apenas de rótulo, ou verdadeiramente amamos ao Senhor que nos comprou, e queremos servi-lo de todo nosso coração.

Que o Senhor nos abençõe.

 

Pr. Daniel Nunes