Está chegando novamente a hora da retrospectiva

Refletindo sobre a vidaEstamos chegando ao final de mais um ano e não há como escapar da retrospectiva. De um jeito ou de outro temos que fazer um feedback de nossa vida, olhando para o passado, melhorando o presente e nos preparando para o futuro.

Aquilo que fazemos é como um grito dentro de uma caverna: o eco vai voltar. Não imaginamos o quanto as nossas ações presentes vão ecoar no futuro em nossas vidas. Quanto que as decisões tomadas, caminhos trilhados, ações praticadas vão ser importantes nos próximos passos da nossa própria construção, pois a cada dia estamos colocando um tijolinho a mais no edifício de nossas vidas.

O profeta Jeremias, quando falava da apostasia do povo de Israel, escreveu: “Passou a sega, findou o verão, e nós não estamos salvos” (Jr 8.20). Essa é sem dúvida uma lúgubre canção! Um povo que fora escolhido por Deus jogou fora todas as oportunidades que Ele os deu. E agora, melancolicamente, somente podia cantar dizendo: “…não fomos salvos”.

Alguém disse que há coisas que não voltam jamais: A flecha lançada, a palavra falada, a oportunidade perdida, etc. Salomão escreveu dizendo: “Tudo quanto te vier a mão para fazer, faze-o conforme as tuas forças, porque na sepultura, para onde tu vais, não há obra, nem indústria, nem ciência, nem sabedoria alguma” (Ec 9.10). O que Salomão está nos instigando, não é cometer coisas erradas, nem praticar aquilo que não convém, ele está nos dizendo, que muitas vezes perdemos oportunidades na vida, e elas não voltarão mais.

Falando sobre o preguiçoso, disse o proverbista: “Vai ter com a formiga, ó preguiçoso: olha para os seus caminhos, e sê sábio. A qual não tendo superior, nem oficial, nem dominador, prepara no verão o seu pão: na sega ajunta o seu mantimento. Ó preguiçoso, até quando ficarás deitado? Quando te levantarás do teu sono? (Pv 6. 6-9). Pensemos nessas palavras!

Voltando então a retrospectiva, penso: quantos que estarão novamente fazendo mil e uma promessas a Deus e a si mesmos, dizendo: O ano que vem vou fazer isso e aquilo; vou trabalhar mais para o Senhor; vou ser mais responsável em meu cargo na igreja; vou, vou, vou… Quem sabe, no início desse ano de 2016 você fez a mesma coisa e, chega ao fim do ano, olha para trás e viu que nada, ou muito pouco foi feito. Portanto, em vez de fazer promessas, entrega os teus caminhos, projetos e sonhos nas mãos do Senhor. Esforça-te para cumprir os propósitos de Deus em tua vida e, ao chegares ao final do novo ano que se avizinha, poderás olhar com prazer para trás e dizer como Samuel: “Até aqui nos ajudou o Senhor”.

Meu desejo é que possas fazer uma retrospectiva positiva deste ano de 2016. Que estejas convicto que fizeste de tudo, que empregaste todas as tuas forças para cumprires com teus objetivos, sejam eles familiares, cristãos ou sociais. Que tenhas alcançado pelo menos parte deles. Mas, senão aconteceu, não desanime! Se você fizer a tua parte, Deus é fiel para fazer a dEle. Analise o porquê não aconteceu. Onde está a falha? Nos projetos, no modus operandi, no pessoal, na logística, etc.? Não procure jogar a culpa apenas nos outros. Assuma tua parte de culpa por não ter logrado o êxito desejado. Siga em frente e mude se precisar. Deus lhe dará vitória se fores honesto, fiel, sincero e trabalhador.

Deixo para a meditação de todos o texto de Josué 1. 8 “Não se aparte da tua boca o livro desta lei; antes medita nele dia e noite, para que tenhas cuidado de fazer conforme a tudo quanto nele está escrito; porque então farás prosperar o teu caminho, e então prudentemente te conduzirás”.

Pr. Daniel Nunes da Silva