Deus, o verdadeiro sentido da vida

Vida com Deus “Porque nele vivemos, e nos movemos, e existimos…” (At 17.28a).

Paulo, em seu discurso no Areópago de Atenas, diante dos filósofos estoicos e epicureus, expõem suas idolatrias, e concentra a sua mensagem sobre o Deus Desconhecido. Dizendo ele, que sobre esse Deus, que eles adoravam sem conhecer, é que ele faria seu discurso. E, nessa pregação inflamada pelo poder do Espírito Santo, o grande apóstolo dos gentios, faz declarações e porque não dizer revelações, que são demasiadamente importantes, porque ele adverte, não somente os seus ouvintes no momento, mas a todos os homens, em todos os tempos e gerações que nós não existimos por nossa própria conta. Não somos concebidos apenas por vontade de nossos pais biológicos, mas que foi Deus, o Criador de tudo que, de fato, nos dá a vida, “porque nele vivemos”, e, sustenta essa vida que Ele nos dá, “… e nele movemos, e existimos”. Nossa existência, sejam quantos anos for, depende de Deus.

Não há razão para pensar em viver separado de Deus. E não adianta alguém dizer que não depende que isso não vai mudar nada. Você depende e pronto. O escritor aos Hebreus disse que Ele sustenta todas as coisas pela Palavra do seu poder (He 1.3). Ele continua sustentando tudo. A terra está assentada em um eixo, chamado pela geografia de “eixo imaginário”. Imaginário, porque não existe. Na verdade o que existe é um poder tão grande de sua palavra, que não deixa que o caos se aproxime, e uma desordem tome conta do universo, porque o Criador, não somente o fez, mas também sustenta todas as coisas.

Eis a razão dessas palavras: Deus, o verdadeiro sentido da vida. Ele é a vida. Nele nos movemos, respiramos, existimos enfim. Sem Ele não há vida. Desde os grandes cedros, aos microscópicos vermes, tudo existe por Ele. Não há porque ninguém pensar em glória para si. A glória é totalmente dEle. Ano vai, ano vem. Homens sobem ao trono e outros descem do trono. Coroas perdem o brilho. Grandes atletas envelhecem e morrem. Atores e atrizes passam. Ídolos da música, do futebol, do cinema vão passando e deixam apenas a história. Grandes construções envelhecem e se tornam ruínas. Mas Ele não envelhece; não passa; não termina seu reinado, mas permanece para sempre.

João disse que os anciãos ao receberem suas coroas, não se apossaram delas, mas, arremessaram-nas diante do trono dizendo:“Digno és, Senhor, de receber glória, e honra, e poder, porque tu criaste todas as coisas, e por tua vontade são e foram criadas” (Ap 4.11). Assim amados, deixemos de lado toda vangloria. Vamos entender de uma vez por todas, que o homem não é nada sem o fôlego de vida que Deus lhe dá. Que, se somos chamados para pregar a Palavra, alegremos por isso e vamos dizer como Paulo: “Porque, se anuncio o evangelho, não tenho de que me gloriar, pois me é imposta essa obrigação, e ai de mim se não anunciar o evangelho!” (1Co 9.16).

Cada dia entendo ainda mais, que Deus é tudo em mim, e que nada sou! Toda a honra e toda a glória sejam dadas a Ele eternamente, amém.

Vosso em Cristo Jesus,

Pr. Daniel Nunes da Silva