Realizado 1º Encontro de Corais da IEADCG

Coral aniversariante“Louvai ao Senhor todas as nações, louvai-o todos os povos.” Este trecho do Salmo 117 foi o tema do 1º Encontro de Corais da Igreja Evangélica Assembleia de Deus em Campina Grande (IEADCG). A festividade aconteceu nos dias 18 e 19 de março, no Templo Central da IEADCG, no bairro da Prata. Na ocasião estiveram envolvidos 10 corais das congregações da cidade.

Ainda dentro da programação comemorou-se os 72 anos do Coral Pastor Silvino Silvestre. O grupo de louvor, iniciado em 18 de março de 1945,  acompanha o desenvolvimento da denominação e é reconhecido enquanto patrimônio imaterial dos assembleianos.

“O Coral Silvino Silvestre é um marco. Ele é um departamentos de grande importância, porque acompanha de perto a história da igreja. Nós não sabemos nem mensurar a grandeza desse coral para a honra e para a glória do nome do Senhor, e para a nossa igreja e para o Templo Central. Então, nós queremos desde já parabenizá-lo”, pontuou o pastor presidente Daniel Nunes da Silva.

Coral Masculino Filhos de AsafeNo encontro do sábado (18) esteve presente o Coral masculino Filhos de Asafe (João Pessoa-PB), que envolveu o público por meio de suas canções. A festividade também reuniu personalidades que deram sua contribuição ao Coral aniversariante. Dentre elas, o pastor Edson Lira, que mantém forte ligação com o Silvino Silvestre

“Eu cresci junto com o coral Silvino Silvestre. Não estou regendo, estou na base, mas já fui regente várias vezes do coral, mas agora integrei somente o coral Cântico de Moisés, que foi dos anos 74 para cá, mas nunca deixei de participar dos trabalhos da igreja”, disse.

O presbítero Oséias Dantas é maestro há 35 anos. Durante sua trajetória, ele pôde vivenciar muitas experiências nos departamentos de louvor da igreja, inclusive, no Silvino Silvestre. Atualmente os corais que estão sob sua regência são “Voz do Bom Pastor” e “Âncora da Fé”.

“Já aconteceu de estarmos louvando e Jesus batizar com Espírito Santo. Certa feita eu estava num ensaio e Deus me usava de uma maneira extraordinária sobre o louvor na igreja, e naquele momento Deus curava uma irmã de uma enfermidade e para mim é muito gratificante. Eu sirvo a Deus com alegria e tenho muito prazer em louvá-lo”, recordou o presbítero.

Templo Central da IEADCG tomado pelos coraisEm outubro do ano passado foi criado o Departamento de Corais (DECAD). O intuito dessa proposta só reforça a relevância que os corais da IEADCG têm para o fortalecimento da música sacra nos dias de hoje. O coordenador do DECAD, Pb. Izaías Gomes, reconhece que com esse departamento os corais passam a ganhar mais força para prosseguir no louvor.

Quando surgiu o departamento em outubro para nós foi uma bênção, porque agora nós podemos dizer que aqui em Campina Grande, além dos outros corais que já existiam, como o Coral Silvino Silvestre, que tem 72 anos, temos ainda o DECAD. Com isso, nós temos uma maior organização e vamos trabalhar para a cada dia melhorar esta obra”, disse o coordenador.

Filha do maestro fundador do Coral anfitrião, Rute Costa dá continuidade ao trabalho que contou com a colaboração do seu pai, José Geraldo dos Santos. Para a coordenadora adjunta do DECAD, “é uma alegria muito grande ser filha do maestro fundador desse coral. Ver hoje esses corais, formando essa grandiosidade, que teve início há 72 anos atrás, é ter a certeza de que essa obra só tende a crescer, porque quando Deus está na frente a evolução é certa”.

Entrega de certificados aos maestros O pastor Daniel Nunes, que também é músico, estima os corais e entende a relevância deles na igreja. Foi ele quem trouxe o sermão na noite do dia 18.

“Nós trouxemos uma palavra rápida, mas falando do poder do louvor. Como é importante quando os adoradores estão cheios da presença de Deus para poder ministrar um louvor que O agrade, mas que também faça a diferença no momento que estejam adorando ao Senhor”, declarou.

A cerimônia se encerrou com a entrega de certificados em reconhecimento ao trabalho desempenhado pelos regentes dos corais participantes.

Reportagem: Victor Posse
Imagens: Sergio Souza