Começa Convenção 2018 da IEADCG

Na noite de ontem (21) teve início as festividades da Igreja Evangélica Assembleia de Deus em Campina Grande (IEADCG). A Convenção 2018 começou sob muitas expectativas, tendo em vista a celebração do 68º Aniversário do Templo Central. O espaço, que comporta cerca de mil pessoas, estava repleto de membros da cidade e região.

A União dos Militares Evangélicos da Paraíba (UME-PB) participou da solenidade de abertura, que contou com entrada de bandeiras e a execução do Hino Nacional Brasileiro.

O culto também foi marcado por cânticos de adoração a Deus, entoados pela Orquestra Átrios de Louvor, Coral Pr. Silvino Silvestre e pelos conjuntos de adolescentes (Geração Eleita) e mocidade (Cântico Pentecostal), além dos cantores Marcos Silva e Salatiel Santos, vindos de São Paulo.

A pregação da Palavra ficou por conta do pastor Gilvan Rodrigues, que é natural de Campina Grande e tem uma estreita relação com a Igreja Assembleia de Deus na cidade.

Construído pelo pastor Silvino Silvestre (in memorian) em meados da década de 1940, o Templo Central da IEADCG foi inaugurado no dia 22 de janeiro de 1950. Até então, a igreja localizava-se na Rua das Areias, atual rua Presidente João Pessoa, mas devido às dificuldades encontradas nesse ponto como, por exemplo, a estrutura e sua localização, o pastor Silvino vislumbrou algo maior para a igreja. Foi assim que, guiado pelo Espírito Santo, ele vendeu o antigo templo e levou a Assembleia de Deus para o bairro da Prata, ficando a poucos quilômetros do centro da cidade. Naquele época, a obra contou com o apoio do evangelista Manoel Pessoa Leão e o terreno foi cedido pelo irmão José Benoni.

Dentre as pessoas que marcaram presença na festividade do templo, esteve o pastor Salatiel Silvestre, filho do saudoso Silvino Silvestre. Para ele, a data comemorativa representa algo muito especial em sua vida, uma vez que foi no Templo Central que ele foi apresentado quando criança e teve boa parte de sua infância na igreja em Campina Grande.

“É uma emoção muito forte, a gente sente comoção em nosso interior em agradecimento a Deus por ter trazido meu pai lá de Pernambuco para Campina Grande, a convite dos missionários, para dirigir este trabalho. Quando meu pai viu que o templo da rua das Areias era muito pequeno para o que Deus estava para fazer, ele começou uma campanha, ganhando almas ali na década de 1940, e em 1950 estava inaugurando este templo”, recordou o pastor.

Para muitos pastores e membros daquela época, as dimensões propostas para aquele projeto demonstravam-se grandes demais, tendo em vista o pequeno número de fiéis existentes e as ínfimas condições para se erguer os muros daquela construção. Não levando em consideração as críticas, o pastor Silvino seguiu crendo no desenvolvimento dos trabalhos evangelísticos na cidade.

Atualmente, a IEADCG é presidida pelo pastor Daniel Nunes da Silva, que desde 2011 tem contemplado o avanço da igreja em solo campinense. Segundo o ministro, o templo carrega um significado que transcende a história da Assembleia de Deus, remontando aos tempos de sua fundação.

“Nós sabemos que toda história ela nos remete, nos conta algo da importância que a obra tem hoje. Se hoje a obra é grande, se hoje ela tem relevância, tem vulto, é porque teve toda uma história, teve um passado, teve um começo. Reconhecemos que homens de Deus, muitas vezes homens simples, estiveram dedicados à oração, dando início a essa obra, a essa história. Então, é com muito regozijo, com muita alegria que comemoramos os 68 anos do Templo Central”, pontuou o pastor presidente.

Reportagem: Victor Posse / Karem Vasconcelos
Imagens: Arquivo / Vitorya Fotografias / Sergio Souza