Cerca de 500 inscritos participaram do COFEC

Para ter um corpo docente qualificado, o departamento de Escola Bíblica Dominical (EBD) da Igreja Evangélica Assembleia de Deus em Campina Grande (IEADCG) realizou, no dia 10 de março, o Curso de Formação para Educadores Cristãos (COFEC). Ao todo cerca de 500 pessoas se inscreveram no primeiro COFEC no ano, que aconteceu nos turnos tarde e noite.

Em uma das oficinas, o presbítero Tiago Rosas ensinou sobre a necessidade da pesquisa na formação e na prática do professor de EBD. “Nós falamos sobre a importância da leitura, da investigação tanto bíblica como teológica, quanto científica, como meio de capacitar e habilitar o professor para levar aos seus alunos o ensino cada vez mais, com um bom conteúdo, um ensino de boa qualidade e com segurança”, disse.

Além dos professores locais, algumas caravanas de igrejas filiadas à COMEAD-CGPB também se despertaram para participar dos estudos. Foi o caso da secretária de EBD, Rosinete Siqueira, que veio com mais 13 pessoas da cidade de Prata, a 170 km de Campina Grande.

Nós ficamos sabendo através do nosso superintendente, ele tinha a maior vontade que tivéssemos um curso de capacitação, para melhorar o nosso ensino da Escola Dominical e nós vamos levando uma bagagem muito boa para desenvolver ali na nossa cidade”, destacou Rosinete.

Essa também foi a primeira vez que a jovem Camila Rodrigues participou do evento. Como secretária da Escola Dominical na  congregação Monte Sinai, ela compreendeu a importância de se capacitar.

É a primeira vez que eu participo e eu acho muito importante o evento. Ajuda muito no nosso crescimento, como foi falado aqui, algumas dicas de dinâmicas, que vão nos auxiliar muito, principalmente na parte da secretaria, professores, superintendes, na liderança como um todo”, falou.

A primeira palestra da noite apresentou o perfil ideal do líder de EBD, ministrado pelo coordenador adjunto do departamento, o evangelista Magdiel Costa. “Existe um perfil comum do líder da Escola Dominical, mas nós falamos hoje sobre o perfil ideal baseado em Tiago 3.18, que fundamenta ali sobre a sabedoria que o Senhor quer dar aos seus líderes, que O representam e que estarão diante de liderados, pessoas que estarão ali recebendo essa liderança”, disse Magdiel.

Já a última plenária foi sobre Hermenêutica Bíblica, onde o pastor presidente Daniel Nunes da Silva abordou a forma correta de interpretar as Escrituras Sagradas. “Interpretar bem a Palavra de Deus, ter realmente os métodos, as formas, a metodologia da interpretação da Palavra é tudo. Porque se nós não tivéssemos isso, seria como um médico que tem o remédio, mas não sabe a quem aplicar, para quê aplicar. Então assim é a hermenêutica para o professor de Escola Bíblica Dominical”, explicou o pastor Daniel Nunes.

 

A participação dos dirigentes de congregação, coordenadores de EBD, superintendentes, secretários e professores demonstrou o interesse do público em aprender a Palavra de Deus para depois ensinar.

“Nós estamos vendo uma fome, um desejo, que está no coração da nossa liderança principalmente se tratando hoje da liderança da Escola Bíblica Dominical. Quando a gente viu o plenário cheio de irmãos que vieram do campo isso demonstra o desejo, a vontade de se aprofundar no conhecimento de Deus”, destacou o pastor presidente.

Além do COFEC, o departamento de Escola Bíblica tem promovido outras formas de capacitação como o estudo de professores, que acontece semanalmente. A novidade agora é que esses encontros serão realizados nas igrejas sede de cada setor. O secretário geral da EBD, auxiliar Isaías Soares, explicou que “antes haviam quatro estudos de professores e agora passamos a ter 15 estudos, um em cada setor, além do templo sede, então isso abre a possibilidade de todos os professores, todos os superintendentes, todos os secretários, participarem do estudo e da nossa Escola Bíblica Dominical”, informou.

Para o coordenador geral da EBD, a mudança já afeta diretamente o corpo docente que se sente mais incentivado a participar das capacitações. “Eu acredito que a direção da nossa igreja acertou quando implantou a setorização. Porém. a setorização exige mais controle, mais acompanhamento. Entretanto há uma maior mobilização, e essa mobilização, quando se exerce em cima dela o controle, o acompanhamento dá muito certo. Eu sou uma entusiasta da setorização, inclusive do departamento de Escola Dominical, e nós vimos o resultado aqui no COFEC”, finalizou o pastor Daniel Carlos Santiago.

Reportagem: Leonarda Barros
Imagens: Veneziano Gonçalves e Pedro Henrique

Compartilhar é se importar!