Consagração Missionária celebra 3 anos de fundação

A Consagração Missionária celebrou, no último sábado (05), mais um ano de existência, contando com uma programação especial. Atualmente quem encontra-se à frente desse trabalho é a  missionária da base, Ana Maria Santiago. Segundo ela, a responsabilidade de conduzir esse projeto de oração é algo que deve ser encarado com bastante afinco. “É uma honra muito grande para mim, porque esse trabalho é de Deus, eu sinto uma paz muito grande. E na primeira vez que eu vim a essa consagração, apenas com o intuito de ajudar, eu me apaixonei por esse trabalho, e estou aqui voluntariamente e por um chamado de Deus”, testemunhou.

Reunidos no Templo Central da Igreja Evangélica Assembleia de Deus em Campina Grande (IEADCG), um grupo de intercessores tem erguido um clamor em favor da causa missionária. Isso tem ocorrido há três anos, sendo uma iniciativa da Secretaria de Missões da IEADCG, que visa abençoar a igreja local como também àqueles que cumprem o Ide de Cristo em outros países.

O pastor presidente, Daniel Nunes da Silva, apóia a Consagração Missionária. Durante a culto em ação de graças, o ministro destacou a eficácia da oração, estimulando os irmãos a perseverarem de joelhos. “Eu tenho dito que a intercessão ela é o motor do carro missionário, não é? O missionário sem os intercessores ele não avança, ele não caminha porque lhe falta essa combustão. Então, nós precisamos, o próprio Paulo, o apóstolo Paulo lá em Efésios 6:19, quando ele pede oração ele diz: Oreis por mim para que eu possa falar com confiança quando abrir a minha boca. Quer dizer, o próprio Paulo confiava no poder da intercessão da igreja”, destacou.

Há pouco mais de um ano envolvido nas reuniões de oração, Marcos Antônio Santos, da congregação Alto Refúgio, tem encontrado na consagração o abrigo para a sua alma. “Tem momentos na vida em que a gente está cabisbaixo, fraco na fé, e até mesmo desanimados diante das tribulações da vida, das perseguições que todo cristão têm. E eu passei por isso, e Deus se utilizou desse meio, que se chama Consagração Missionária, para me dar um ânimo, para me dar uma força a mais para que eu continuasse a caminhada cristã”, compartilhou.   

Quem também entende os efeitos desse ato de fé na vida cristã é a cantora Priscila Fernandes. Ao unir-se na corrente da intercessão, ela expressa que “é gratificante participar da Consagração Missionária, pois muitos são os relatos daquilo que Deus tem feito  pelo que a gente ouve depois. A gente tem muitos testemunhos de pessoas que estão lá no campo missionário, tanto transcultural, quanto daqui também local, e a gente escuta os testemunhos de olha, Deus me fez alcançar uma grande vitória, e a gente vê isso como resultado da oração”.

Além de promover momentos de clamor e comunhão, a Consagração Missionária tem fortalecido a fé dos que dela participam. “Esse trabalho aqui é um trabalho que fortalece o crente. Sem o trabalho de oração, o crente não é nada. É na oração que ele conversa com Deus, que ele se fortalece. Então, esse trabalho me fortalece, me edifica, torna mais sólido o meu ministério”,  descreveu a missionária da base, Magalhe Diniz.

Segundo Joselma Gaião, que também participa da consagração todo sábado, o período em que se dedica à interceder por missões tem lhe proporcionado “crescimento espiritual, tendo em vista que tem sido um dos fundamentos para a minha vida. Eu tenho crescido espiritualmente. Através dessa obra tenho contemplado o alcance de petições ao Senhor feitas neste lugar, que tem sido lugar de milagre”.

Reportagem: Victor Posse
Imagens: Divulgação

Compartilhar é se importar!