APEL recebe seis novos membros

A Academia Paraibana Evangélica de Letras (APEL) recebeu, na última quarta (16), seis novos membros, que foram empossados numa solenidade realizada na Segunda Igreja Congregacional El-Shaday no bairro do Centenário aqui em Campina Grande-PB. O culto de recebimento dos acadêmicos foi conduzido pelo fundador e atual presidente da APEL, pastor Clélio Cabral.

Para integrar a Casa de Armando Torres, como também é conhecida a APEL, os aspirantes precisaram se submeter a uma série de avaliações. “A APEL é um tanto quanto intransigente. Ela só admite membros aqueles que estiverem devidamente ligados à igrejas que forem reconhecidamente evangélicas. Desta feita, há questionário  para que o candidato responda e ainda análise de currículo. Então, a diretoria da APEL se reúne e realiza toda uma avaliação para aprovar ou não o candidato”, esclareceu o presidente da APEL.

Segundo o presidente da igreja que sediou a sessão solene da APEL, pastor Manoel Antônio do Carmo, receber o título de acadêmico e acolher um evento dessa magnitude em sua denominação foi “uma verdadeira surpresa, pois o pastor Clélio é uma pessoa muito perseverante, muito insistente e ao mesmo tempo é uma pessoa muito agradável. Então, ele nos solicitou que a cerimônia, o evento, fosse realizado aqui. E para nós foi uma alegria, um prazer muito grande poder servir de anfitrião para esse evento nesta noite”.

Em meio aos louvores de gratidão que iam sendo entoados ao decorrer do evento, envolveram-se na programação  a Orquestra Átrios de Louvor e o conjunto feminino da União de Militares Evangélicos (UME). A cerimônia ainda envolveu autoridades eclesiásticas de diferentes denominações da cidade e região. Da Igreja Evangélica Assembleia de Deus em Campina Grande (IEADCG) esteve o pastor Jailton Barbosa que, inclusive, é membro da diretoria da Ordem de Ministros Evangélicos do Brasil e do Exterior. “Eu me sinto muito honrado em estar aqui representando a nossa instituição, a Igreja Assembleia de Deus, na pessoa do nosso presidente, pastor Daniel Nunes, nesta cerimônia que, para mim, é de grande relevância para o meio evangélico”, disse.

        

Com bacharelado e mestrado em teologia, a doutora Ana Maria Mangueira tem contribuído bastante para com a literatura cristã. Estar entre os aspirantes condecorados pela APEL foi para ela algo que lhe traz “um sentimento de gratidão a Deus, pois foi Ele que me deu essa oportunidade. Sem ele eu não estaria aqui. Sinto-me muito feliz e também emocionada por ser a única mulher a estar participando dessa academia, tomando posse nesta noite.

Satisfeito com a realização de mais uma solenidade, o pastor Clélio Cabral fez questão de externar sua gratidão pelo fato de ter sido Campina Grande a cidade escolhida para recepcionar os novos membros da entidade cultural. “Para nós da APEL foi uma grande vitória. Aqui tivemos um evento bem assistido com uma programação excelente, e graças a Deus sempre temos recebido apoio. Eu encontro motivo de alegria para Campina Grande, porque ela teve a primazia de sediar essa cerimônia. Poderia ter sido na capital do Estado, mas não deixou se ser na capital do progresso, do trabalho, que é Campina Grande”, finalizou o ministro.

A instalação da entidade cultural aconteceu em 02 de junho de 2007. Nesses quase 11 anos de fundação, a APEL preza pela desenvolvimento e pela conservação da memória literária do cenário evangélico e dá ênfase a obras publicadas no estado paraibano.

Reportagem: Victor Posse
Imagens: Veneziano Gonçalves

Compartilhar é se importar!