Esperança e Vida presta apoio a abrigo de idosos

A Secretaria de Assistência Social (SAS) da Igreja Evangélica Assembleia de Deus em Campina Grande (IEADCG) levou ao Centro de Assistência Humanitária Casa Irene Modesto, localizado no bairro Jardim Paulistano, o Projeto Esperança e Vida. A ação aconteceu na tarde do último sábado (21), envolvendo os 42 idosos da casa de apoio em momentos de louvor e adoração a Deus.

Diferentemente das outras ações promovidas pelo Esperança e Vida, essa foi a primeira vez que o projeto voltou-se ao público da terceira idade. Segundo a coordenadora da SAS, Adeilza Santos, o intuito dessa visita consistiu em “trazer um pouco de alegria, um pouco de amor para essas pessoas que vivem tão desprezadas por seus familiares. Em alguns casos, muitos deles não recebem visita e nós estamos aqui para dar um pouco de amor e trazer o amor maior que é o de Jesus Cristo, que quando esse amor chega realmente transforma vidas, alegra corações e nós estamos aqui para alegrar os corações deles nesta tarde”.

Com 11 anos de fundação, a Casa de Apoio Irene Modesto tem como objetivo melhorar a qualidade de vida de seus usuários, dando-lhes abrigo, alimentação e promovendo atividades recreativas. Atualmente a instituição conta com o apoio de 28 voluntários, que auxiliam no cuidado dos idosos.

Sob a direção da assistente social Maria Gorete Conserva, a casa de apoio tem contribuído para o bem-estar daqueles que mais carecem. “Essa causa ela é abraçada pelo amor, pela necessidade de prestar assistência com o coração a essas pessoas que tanto necessitam. Então, a maioria delas são pessoas de rua, são pessoas encaminhadas por algum órgão de controle social. Às vezes, são até pessoas que vêm de outros municípios, são de outros estados e têm deles que até não conseguimos saber qual a sua origem, porque muitos nem falam”, relatou.

Dentre os idosos que são assistidos pela casa encontra-se a aposentada Luzia Galvício de Carvalho, de 79 anos. Desde que chegou na Casa Irene Modesto ela tem sido tratada com dignidade, recebendo a atenção que tanto precisa. “Aqui eu sou bem tratada, tenho as meninas aqui na casa que tratam, dá jeito. Tenho banho, tenho roupa lavada, comida feita. O que é que quero eu mais? Tenho de tudo, não tenho do que reclamar, só agradecer a Deus pela bondade, por ter me enviado à essa casa”, contou a idosa.

A ação solidária realizada pela SAS contou com a entrega de mais de cem donativos, os quais foram arrecadados pelos próprios componentes da equipe, que ofertaram aos idosos serviços na área da saúde como teste de glicemia e aferição de pressão. Um lanche também foi servido aos idosos que puderam interagir durante o culto realizado no pátio da casa.

Alessandra França, de 12 anos, que é componente do Esperança e Vida, pôde compartilhar com o público da terceira idade aquilo que tem de mais precioso: o amor de Jesus. “Está sendo muito legal, porque nós podemos visitar outros lugares, outros asilos. Esse foi o primeiro asilo que eu vim visitar e é muito bom trazer alegria para eles, porque quando nós ficarmos velhos nós vamos ficar assim também iguais a eles e estamos aprendendo mais um pouco com eles, dando alegria e dando muito amor para eles”, disse.

Vítima de um acidente vascular cerebral, o aposentado Djalma José da Silva, que tem 45 anos de idade, tenta retomar a vida que tinha antes do AVC. Há quatro anos na casa de apoio, ele tem recebido o acompanhamento necessário para obter uma melhora em seu quadro de saúde. “Meu problema todo aqui é porque eu não ando. Aqui eu tenho o acompanhamento com o fisioterapeuta. Antes de vir para essa casa era mais complicado, pois eu tinha de ser atendido lá em Galante. Daí eu tinha de andar em  estrada de chão e era bem mais difícil”, relatou o usuário da Casa Irene Modesto.

O operador de máquinas, José Marconi da Silva, reforçou a importância do abrigo na vida de seu irmão Djalma. “Em casa, no dia a dia, a  dificuldade é grande para dar a assistência devida. E aqui é muito importante, pois tem o tratamento e sei que um dia ele vai melhorar se Deus quiser”, expôs.

Ao receber o carinho da equipe da SAS, a aposentada Luciana Teadora, de 66 anos, disse estar “achando muito bom, graças a Deus, estou adorando. Aqui não nos falta nada, aqui tem de tudo. Às vezes também recebo a visita do meu pessoal. Isso é muito bom”.  

O Centro de Assistência Humanitária Casa Irene Modesto fica situado na rua Pedro Brasil, nº595, no bairro Jardim Paulistano. A sua atuação se dá sempre em parceria com outras instituições como, por exemplo, escolas públicas e privadas, pastorais, igrejas, dentre outras que têm abraçado essa causa. “A Casa é daqueles que necessitam. Hoje estão eles – os idosos – e eu posso precisar amanhã. Então, eu peço que encarecidamente que não deixem essa  obra morrer, que a gente possa levar o melhor e oferecer o melhor a esses que tanto fizeram por suas famílias, para a comunidade, que contribuíram, pagaram seus impostos, e hoje estão aqui. A gente só tem a agradecer à Assembleia de Deus e a outras instituições que têm passado por aqui: escolas, Igreja, pastorais e pessoas de bom coração que têm passado por essa Casa”, finalizou a assiste social Maria Gorete Conserva.  

Reportagem: Victor Posse
Imagens: Divulgação SAS

Compartilhar é se importar!