IEADCG realiza ação social na comunidade da Cachoeira

No último sábado, 16 de março, aconteceu a primeira ação social deste ano realizada pelo Projeto Esperança e Vida. A equipe, formada por 30 voluntários da Igreja Evangélica Assembleia de Deus em Campina Grande (IEADCG), ofereceu serviços gratuitos à comunidade.

De acordo com a coordenadora do Projeto, Adeilza Santos, “a secretaria de ação social sempre olha os locais mais carentes de Campina Grande, e a partir do momento em que a gente localiza esses locais entra em contato com o pastor de setor e pede a ele o apoio para fazer o projeto esperança e vida naquele local”, lembrou.

O apoio da liderança setorial da IEADCG é essencial para o trabalho obter bons resultados e quem sai ganhando são os moradores do bairro, que nesse caso foi o José Pinheiro.

Esse é um trabalho que está dando muitos frutos. Tem muitas pessoas que precisam desse trabalho social, muitas pessoas que precisam ouvir a palavra de Deus, e esse lugar foi ideal dentro do setor”, destacou o pastor Ricardo Gonçalves, responsável pelo setor 09 da IEADCG.

Em baixo de tendas estavam profissionais da área da saúde e da beleza. Entre aferição de pressão e teste de glicemia foram mais de 70 atendimentos, além de 25 cortes de cabelo. E para quem participou do projeto, como o servente de pedreiro Roberto Francisco da Silva, valeu a pena esperar na fila. “É muito importante esse projeto, porque a pessoa pode ver como está à saúde e se cuidar melhor”, disse.

Quem também participou dos atendimentos foi o aposentado Wilson da Silva Almeida “esse projeto aqui foi uma benção e espero que continue sempre vindo nos abençoar, porque aqui é um povo carente, mas que serve ao Senhor. E nós estamos muito satisfeitos pela obra de Deus nesse lugar”, falou.

Após atender várias pessoas a técnica de enfermagem, Maria de Lourdes dos Santos lembrou a importância desse trabalho da equipe. “Ser voluntária no projeto é gratificante. Trabalhar com amor, dedicar nossa vida ao próximo foi isso o que Jesus nos ensinou, e fazer o ide dele. O ide não é só pregar a palavra, mas sim colocar a mão na massa junto com os irmãos, em equipe, e tudo isso é muito gratificante para todos nós”, lembrou.

  

E é com esse desejo de ajudar ao próximo que a congregação Fonte de Águas Vivas vem atuando dentro da comunidade da cachoeira, conforme informou o dirigente, presbítero Luciano Guilherme.

As pessoas elas anseiam que a igreja venha fazer algo, espera sempre algo da igreja, e um trabalho desse deixa evidente que Deus está trabalhando. A igreja está com os braços abertos, para abraçar cada um deles. E com certeza eles vão se sentir abraçados, vão se sentir abrigados, em saber que tem uma igreja e que se importa com a vida deles”, ressaltou.

As crianças do bairro também foram surpreendidas com uma tarde pra lá de especial. Louvores, brincadeiras e muitas histórias bíblicas foram contadas aos pequenos que saíram radiantes daquele lugar.

A palavra de Deus nos diz que onde a gente colocar a planta do nosso pé, o Senhor nos dá por herança. Então a gente quer esse lugar por herança, mesmo que a gente não veja esse fruto hoje, mas com certeza nós veremos futuramente e saberemos notícia que alguém aqui aceitou Jesus através do projeto”, lembrou Adeilza Santos.

E foi esse o resultado que o auxiliar João Lourenço de 75 anos voluntário do Projeto Esperança e Vida, pode contemplar já naquela tarde. “Quando uma pessoa aceita Jesus é muita felicidade, às vezes as lágrimas saem dos olhos. Agora de tarde mesmo, em um canto só, foram 4 almas para Jesus, e aqui mais uma com esse senhor que está aqui”, respondeu o aposentado.

Distante do evangelho Francisco de Assis, ouviu a palavra de Deus através do auxiliar Lourenço e reconhecendo sua situação atual decidiu mudar de vida. “Eu estou meio afastado, sabe? Eu sou meio errante, mais eu não quero permanecer no erro. Eu quero acertar. Ao invés de errar e permanecer errado, em forma de me afastar dos caminhos de Cristo, então eu quero me aproximar, eu quero estar presente de Cristo”, falou.

Foi assim que o amor de Jesus alcançou seu Francisco que entregou sua vida ao Senhor ali mesmo, no meio da rua. Ao término do evento cerca de 12 adultos e 12 crianças aceitaram o evangelho.

A comunidade, ela é vista assim de uma maneira um pouco estranha, dentro da perspectiva aqui em Campina Grande, mais como o trabalho é aberto facilita as pessoas carentes. A igreja esta indo a comunidade e além da igreja ir à comunidade, a palavra de Deus vai ser pregada posteriormente, é isso que fica dentro do coração das pessoas”, finalizou o pastor Ricardo Gonçalves.

Reportagem: Leonarda Barros
Imagens: Jonathan Alves

Compartilhar é se importar!