Liderança da IEADCG se une em oração contra a COVID-19

Pr. Daniel Nunes intercedendo pelo Brasil

Passava das 8h da manhã, quando um pequeno grupo de pastores e obreiros da Igreja Evangélica Assembleia de Deus em Campina Grande (IEADCG) se reunia nas proximidades da BR-230, na entrada da cidade, para clamar ao Senhor. 

Essa mobilização aconteceu na quinta-feira, 2 de abril, contando com o suporte dos departamentos da igreja que, movidos por fé, ergueram suas vozes em favor das nações, do Brasil e pelo Estado da Paraíba. “Quando o povo de Deus se une, se ajoelha e faz o clamor ao céu, Deus com certeza escutará as nossas orações. E é o que estamos fazendo aqui hoje como diz em 2 Crônicas – Se o meu povo que se chama pelo meu nome se humilhar e buscar a minha face eu escutarei do céu e sararei toda a terra”, expressou o Pr.Geovandro Ferreira, Secretário de Missões da IEADCG.

Quem também se envolveu nessa mobilização foi a liderança da União de Jovens, representada pelo evangelista Jean Pierre que ressaltou a eficácia desse ato na vida do povo de Deus. “Nós acreditamos que a oração do justo pode muito em seus efeitos. E cremos que o Senhor Jesus, através da oração da igreja, fará com que esse momento difícil seja superado”, disse.

Cumprindo com as recomendações das autoridades de saúde, os pastores mantiveram a distância adequada entre si para seguir pela cidade, ministrando restauração e cura sobre os povos da terra.  “Sabemos que tudo isso é a mão Senhor para chamar a atenção da terra para o fim dos tempos, e isso é muito importante: mostrar à sociedade que a igreja não parou”, lembrou o pastor Felipe Costa, coordenador do Setor 11 da IEADCG.

Outro ponto em que a liderança da igreja se reuniu foi na Praça da Bandeira, onde aconteceu um período  de devocional ao Senhor dirigido pelo pastor Daniel Nunes da Silva. “É um momento de exercitarmos a fé. A igreja ela está colocada no mundo justamente para fazer a diferença. O apóstolo Paulo diz que nós devemos resplandecer como astros no meio de uma geração corrompida e perversa, e é exatamente isso que nós viemos fazer com essa iniciativa”, explicou o pastor presidente.

Trazendo consigo os símbolos nacionais, os pastores atraíam a atenção de quem passava pelas ruas. O envolvimento da população campinense durante essa ação foi visível em cada ponto percorrido pelos obreiros. Eu estava ali vendendo – eu sou comerciante – e eu vi aquele grupo de pessoas daí, eu disse, rapaz eu vou lá presenciar, e graças a Deus foi um algo muito bonito, descreveu o comerciante Josebias Pereira.

Segundo o aposentado Humberto Simplício Guedes que presenciou o ato em via pública, “é importante quetodo cristão se una nesse momento difícil que o planeta está passando. A gente tem que pedir e rogar a Deus, se humilhar, clamar pelo Senhor”.

O clamor também chegou ao bairro de Bodocongó, onde os pastores intercederam pelos infectados pela COVID-19 e pelos profissionais da saúde, que encontram-se na linha de frente dessa batalha contra o vírus.  

O desfecho se deu na Avenida Juscelino Kubitschek, no Presidente Médice, onde mais uma vez a liderança da igreja se pôs de joelhos e rogou pelas misericórdias do Senhor. “Estamos nessa missão clamando ao Senhor, pedindo perdão dos nossos pecados, pecado do nosso povo, para que o Senhor olhe para nós e venha – de uma forma final – realmente dar um basta nesse mal que assola a humanidade, que as nossas cidades possam voltar à sua normalidade, que os nossos trabalhadores possam voltar ao seu trabalho e, assim, possamos ver a alegria no rosto do povo”, finalizou o pastor Daniel Nunes da Silva.

Reportagem: Victor Posse
Imagens: Pedro Henrique