QUANDO OS PROFETAS SE CALAM

Em Lamentações de Jeremias, capítulo 2 e verso 14 esta escrito: “Os teus profetas viram para ti vaidade e loucura e não  manifestaram a tua maldade, para afastarem o teu cativeiro; mas viram para ti cargas e motivos de expulsão” (ARC); Na Bíblia Viva diz assim: “Os seus profetas tiveram visões falsas e insensatas. Eles não mostraram a você os seus pecados. Se tivessem feito isso, você não seria escrava hoje. Em vez disso, as suas mensagens eram falsas e enganosas”.

Quantas vezes Deus advertiu o seu povo contra o pecado através de seus santos profetas, porém, se levantavam também, os pseudos profetas, que combatiam e diziam coisas que o povo queria ouvir. Aquilo que agradava os seus ouvidos. Ouçamos o que nos diz Jeremias: “Assim diz o Senhor dos Exércitos: Não deis ouvidos às palavras dos profetas que entre vós profetizam; ensinam-vos vaidades e falam da visão do seu coração, não da boca do Senhor. Dizem continuamente aos que me desprezam: O Senhor disse: Paz tereis; e a qualquer que anda segundo o propósito do seu coração, dizem: Não virá mal sobre vós” (Jr 23. 16,17). Isso nos faz lembrar do que escreveu o apóstolo Paulo na sua segunda carta a Timóteo, 4.3,4 “Porque virá tempo em que não sofrerão a sã doutrina; mas, tendo comichão nos ouvidos, amontoarão para si doutores conforme as suas próprias concupiscências; e desviarão os ouvidos da verdade, voltando às fábulas”.

Salomão escreveu dizendo, que não havendo profecias o povo se corrompe. E digo mais, precisa ser profecias verdadeiras. Chega de falsos profetas! Já não suportamos mais ver homens e mulheres, dizendo ser de Deus, que sem vergonha e pudor, abrem, ou melhor, escancaram a boca, para dizer que o Senhor está falando, quando o Senhor não está falando. Profetas bajuladores de políticos, de ricos, famosos, muitos deles em pecado, mas, para ganharem fama, notoriedade, se valem de falsas profecias.

Quando o povo de Israel passava por momentos de grande turbulência física e espiritual, o salmista clamou dizendo: “Já não vemos os nossos sinais, não há profetas; nem há entre nós alguém que saiba até quando isto durará” (Sl 74. 9). Quanta falta faz um profeta verdadeiro! Quando três reis saíram à batalha, e faltou água para eles, para o exército e para os animais, o rei de Judá clamou dizendo: “Não há aqui algum profeta do Senhor, para que consultemos ao Senhor por ele?” (2Rs 3. 11). Sim havia, pois lá estava o homem de Deus, o profeta Elizeu. Homem sem meias palavras. Homem que não respeitava a presença de grandes e poderosos, mas, respeitava aos tementes a Deus (2 Rs 3.13).

Quando me referi a profetas e a profecias, não me entendam que estou ensinando que devemos ser levados por revelações, por profecias, principalmente dessas, que são geradas nas mentes vazias da Palavra de Deus, mas cheias de artimanhas carnais e diabólicas. Sim, diabólicas, porque, tudo aquilo que não provem de Deus, é carnal, diabólico e destrutivo. Quando falo da profecia, me refiro a homens que, de posse do conhecimento e da interpretação das Escrituras Sagradas, e cheios do Espírito Santo, falam sem medo, sem meias verdades, sem rodeios, e sem querer glorias para si, aquilo que Deus quer que seja dito. Paulo disse que “Toda escritura divinamente inspirada é proveitosa para ensinar, para redarguir, para corrigir, para instruir em justiça” (2Tm 3. 16). Interessante que ele não diz em nenhum lugar que é para bajular, para inflar o ego de ninguém. Mas, infelizmente, muitos estão usando as Escrituras para isso. Tomam textos isolados, que somente falam de vitória, crescimento, êxito, prosperidade; e se esquecem de aplicar o remédio contra o pecado.

Muitos falsos profetas (pregadores) pagarão um alto preço, por não terem alertado ao povo sobre seus pecados. Muitos irão ao inferno por falta do verdadeiro aviso da Palavra, e isso ficará na conta dos falsos instrutores. Sabiam o caminho, mas não ensinaram. Preferiram ficar com as fábulas. As fábulas são mais alvissareiras. As fábulas rendem dividendos. As fábulas fazem mais amigos. As fábulas são politicamente corretas. Porém, o povo se corrompe. O povo anda por caminhos errados, e pensam que está tudo bem. Começam a chamar a luz de trevas e as trevas de luz. Começam a chamar o amargo de doce e o doce de amargo. Quer dizer, os valores éticos-cristãos, são jogados na lata do lixo, e o lixo do pecado, da mentira, da orgia, do pornografia, da traição, da bebedice, da carnalidade é colocado à mesa como se fosse um prato apetecível. Tudo por falta de verdadeiros profetas, que tenham a hombridade de tomarem a Espada do Espírito em suas mãos e a brandirem com intrepidez e verdade. Paulo nos adverte dizendo: “Procura apresentar-te a Deus aprovado, como obreiro que não tem de que se envergonhar, que maneja bem a palavra da verdade” (2Tm 2.15).

Está mais que na hora, dos profetas do Senhor, tomarem suas espadas flamejantes, e denunciarem os pecados do povo. Os acontecimentos mundiais, seja esse vírus chinês, a praga de gafanhotos, ou poeiras vermelhas que passam de um país para outro causando doenças, seja o mal ideológico que o comunismos tenta implantar no planeta terra, tudo anuncia que Jesus está voltando. Que o calendário de Deus está marcando o fim de todas as coisas. Que esse mundo, com seus pecados e mazelas, está próximo de seu final. Levantemos nossas vozes sem medo, dizendo a Igreja do Senhor na terra, que é hora de prepararmos a mobília para mudarmos de país (Ez 12.3a).

Vosso em Cristo

Pastor Daniel Nunes da Silva – presidente da IEADCG e COMEAD-CGPB