Deixai-nos edificar convosco

Chegaram-se a Zorobabel e aos cabeças de famílias e lhes disseram: Deixai-nos edificar convosco, porque, como vós, buscaremos a vosso Deus; como também já lhe sacrificamos desde os dias de Esar-Hadom, rei da Assíria, que nos fez subir para aqui”. (Ed 4.2)

Os inimigos de Deus  e de sua obra (provavelmente samaritanos, (cf 2Rs 17.24,34) procuraram se infiltrar entre os judeus e interromper a construção do templo. Fingiram união, e hipocritamente ofereceram ajuda num trabalho conjunto para o progresso da obra de Deus.

Nesta reflexão, veremos o perigo da infiltração de inimigos em meio ao arraial do povo de Deus. A carta enviada à Igreja de Éfeso, o Senhor Jesus diz: “… e puseste à prova os que dizem ser apóstolos e não são e tu os achaste mentirosos” (Ap 2. 2b).

A igreja, em todos os tempos, vem sofrendo investidas desta natureza. É preciso que àqueles que estão na liderança da mesma, busquem com todo ardor o dom de discernimento de espíritos, para que possam, assim como Zorobabel, identificar, quando de fato são amigos e quando são inimigos. Neemias também identificou, quando foi chamado para descer e ir ao vale de Ono, disse: “Estou fazendo uma grande obra, de modo que não poderei descer” (Ne 6.3). Ele sabia que intentavam contra a sua vida.

Veremos algo mais desses inimigos:

1) Esses inimigos de Judá (Ed 4.1), afirmavam que adoravam ao Senhor Deus e que sacrificavam a Ele, igualmente como os Judeus. Entretanto, tinham seus próprios deuses, e não aceitavam a Palavra de Deus escrita como a autoridade suprema para seu povo (cf 2Rs 17.24,29-33). Essa oferta enganosa de ajuda, era de fato, um sinistro complô, parecido com aquele dos inimigos de Neemias (Ne 6.2), para subverter a fé e dedicação do remanescente que voltara.

Estamos em época, onde, muitos procurarão as igrejas, passando por bonzinhos, saudando com a paz do Senhor, e até querendo cooperar com a obra de Deus. Que o Senhor tenha misericórdia do seu povo. Até aqui nosso Deus tem nos ajudado, e continuará nos ajudando (1Sm 7.12).

2) As Escrituras advertem que Satanás procurará perverter a mensagem de Deus e arruinar o santo remanescente, mediante ofertas de cooperação da parte de falsos crentes que não são leais à inspirada revelação da Palavra de Deus (Mt 24.24; At 20.27-31; 2 Co 11.13-15; Ap 2-3).

3) A unidade entre os que adoram ao Senhor é um princípio importante e bíblico, mas essa unidade deve basear-se na fé sincera, na justiça obediente e na verdade revelada por Deus (Ef 4.3-13).

4) A mistura com pessoas que não são da mesma linhagem do povo de Deus, ou de falsos cristãos, sempre trazem enormes prejuízos ao povo de Deus (cf Ex 12. 38; Nm 11.4; 2Rs 17.32,33; 2Pe 2.13; Ap 2.9).

Portanto, façamos como Zorobabel, que não aceitou a ajuda disfarçada dos inimigos dos judeus. Não devemos aceitar essa mistura em nosso meio. Quem quiser andar conosco, terá que servir unicamente ao Deus vivo e verdadeiro. Ele não aceita mistura.

Amém.
Pastor Daniel Nunes da Silva

Bibliografia
Bíblia de Estudo Pentecostal